terça-feira, 18 de abril de 2017

A MENINA SUBMERSA:MEMÓRIAS, Caitlín R. Kiernan




" Este livro é o que é,  o que significa que ele pode não ser o livro que você espera que seja." CAITLÍN R. KIERNAN



Sinopse:
"A Menina Submersa - Memórias" é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doenças mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do "real" sobre o "verdadeiro" e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. (Saraiva)

Resenha:
"Essa resenha é o que é,  o que significa que ela pode não ser a resenha que você espera que seja." E é parafraseando a autora que começo essa resenha. Sabe aquele livro difícil de ler, mas que quando você começa não consegue parar enquanto não vê o fim? Qualquer sinopse que eu tenha lido antes de ter o livro em mãos, nunca foi suficiente para entender sobre o que se tratava a história. Entre teorias, confusões e dúvidas,  trago minha experiência com essa obra g-e-n-i-a-l. Vou tentar ser o mais breve sem dar spoilers da história.

Tudo começou quando um amigo propôs ler simultaneamente esse título comigo, para que pudéssemos comentar um com o outro e foi assim que seguimos leitura. De início,  uma passagem mais confusa que a outra, numa narrativa sobreposta e não linear. Muitas teorias sobre a verdade da personagem e o resto da história.

Imp sofre de alguns transtornos psiquiátricos,  entre dissociações, toc e aritmomania. Ela morava sozinha ate conhecer Abalyn, sua namorada, antes de conhecer Eva Canning, antes dos fantasmas (sereias e lobisomens).  O que me fez começar o livro com o pé errado: eu fui racional demais. A partir do momento que eu aceitei o tom sobrenatural do livro e me esqueci das doenças mentais da personagem, as coisas começaram a fazer mais sentido (no que se refere a sua "história de fantasmas"). Entretanto, logo de começo,  apesar da narrativa até então nova para mim, foi possível compreender o raciocínio de Imp ( suas camadas, a linha tênue entre o real e o factual, como ela própria em determinadas situações não sabe o que é memória e o que é ficção).

 " Tecemos ficções necessárias,  e às vezes elas nos tecem. Nossas mentes, nossos corpos."... (pág 304)

O principal mistério do livro é o que seria verdade ou não, quando a própria personagem, que, narrando em primeira pessoa, admite não ser confiável em transmitir sua história,  nos advertindo que ela pode estar eventualmente inventando alguma coisa, ou que algo não aconteceu daquela forma mas ela prefere se lembrar de tal maneira, entre outros alertas. Outro mistério é: quem é (ou foi) Eva Canning? Qual Eva realmente apareceu, a de junho ou a de novembro? Ou então as duas. Seria possível encontrar uma pessoa pela primeira vez...duas vezes? Qual encontro foi real? E o que o fantasma quer?

O livro tem muitos pontos fortes, entre eles as referências culturais (citações,  músicas,  reportagens, pinturas, e outras), como o quadro A Menina Submersa de Saltonstall, L'Inconnue de lá Siene, La Bête du Gévaudan e Aokigahara Jukai - a floresta do suicídio, que Imp usa para explicar o conceito de "meme pernicioso". Também as referências a autores do horror e terror, tais como H.P Lovfecraft e Edgar Allan Poe, a narrativa, os mistérios e a fantasia que caminha em uma linha tênue com a doença de Imp.

- Você sabe agora que nunca terá certeza do que aconteceu?  - perguntou ela.
- Sim,  agora eu sei. Eu sei disso.
Eu sei disso. 

E se Imp nunca vai ter certeza do que foi verdade e o que foi ficção,  o leitor também não saberá. Serão suposições e dúvidas. Hora acreditando piamente no sobrenatural, hora acreditando somente em uma parcela da história de fantasmas. Tirem suas próprias conclusões e se você já leu comente aqui, com ou sem spoiler! ;)

7 comentários:

  1. Nossa, esse livro é bem misterioso o estilo de livro que eu amo, me deu vontade de parar o que estou lendo agora e começar esse, acredito que o livro tenha alguma mensagem escondida, mas que deve ser algo muito pessoal da autora. Em todo o caso vou ler ele bem lentamente prestando bem atenção a cada detalhe.
    Melhor resenha que eu já vi <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      Esse livro é um quebra cabeças haha

      Excluir
  2. muito boa a resenha. Eu estava procurando uma resenha assim para ler. As outras são tão padronizadas gosto quando a pessoa da a opinião mermo. Meu amor, tu deu a cara a tapa viada! arrasou! Esse blog aqui, nunca vi n! Gostei vou acompanhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou! Nos visite sempre amigx ;)

      Excluir
  3. Já percebi que a leitura desse livro é desafiadora e vai exigir um raciocínio perspicaz do leitor para acompanhar a estória. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  4. Já percebi que a leitura desse livro é desafiadora e vai exigir um raciocínio perspicaz do leitor para acompanhar a estória. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  5. Gosto de histórias que nos levam a pensar em várias suposições para um mesmo mistério. A partir desse post vou anotar esse título para em breve ler 😉

    ResponderExcluir